Garotada honra condomínio Ubá Floresta

por André Mendonça

Fundado por jovens amigos, moradores de um condomínio, o Ubá Floresta Futebol Clube é um dos muitos times de pelada de Niterói. Naquela época, em 2007, como os jogadores eram muito jovens, não levaram nada a sério e temiam se machucar nos campeonatos, preferiam os amistosos, sem compromisso algum. 

No segundo semestre de 2015, no entanto, os amigos, agora na faixa dos 20 anos, se reuniram novamente e decidiram ressuscitar o talentoso time. Dessa vez, a brincadeira ficou mais séria. A equipe arrecadou mais de R$ 1 mil de patrocínio para pagar a confecção de uniformes e a inscrição no campeonato. Mesmo assim, os jogadores tiveram que desembolsar “algum” para fechar as despesas.

Um dos apoiadores, o “Espeto & Cia” é um bar próximo ao condomínio, onde a rapaziada costuma se reunir depois dos jogos para a famosa resenha. O mais curioso é que o apoio financeiro dado pelo dono é inferior ao que a turma costuma gastar quando frequenta o bar. Mas está valendo, afinal toda contribuição era bem-vinda, os jogadores aceitaram e a marca foi estampada nas costas das camisas dos atletas.

Disputando o primeiro torneio desde que voltaram a atuar, os garotos do Ubá Floresta Futebol Clube apresentaram um futebol de gente grande e, de equipe desconhecida, passou a ser favorita ao título. Não deu outra. Com oito vitórias em oito jogos, o time se tornou campeão da Real Copa e garantiu vaga para a disputa da Copa dos Campeões, que será realizada no início de 2016. 

Na premiação, um fato curioso. O número 1 do Ubá, que apesar de suas boas defesas não costuma passar muita segurança aos companheiros, por conta de sua miopia, ganhou o prêmio de melhor goleiro do torneio. A conquista foi motivo de muita comemoração e também de muita zoação. Mais tarde, graças à criatividade dos amigos, o prêmio passou a ser chamado de “Troféu Quem Diria”. 

Em ascensão, o futebol society, que é jogado com sete atletas para cada lado, é um dos esportes que mais cresce no país. Niterói desponta nesse cenário como o berço do futebol society nacional. Vale destacar que, nos últimos anos, a cidade foi sede de importantes campeonatos profissionais, como carioca, brasileiro e a Liga das Américas.


André Mendonça é aluno de jornalismo da PUC e calouro do Museu da Pelada. Rubro-negro de coração, não vive longe da bola e é presença garantida na resenha dos peladeiros, principalmente no aconchego dos botecos.