O DOS GOLS BONITOS

entrevista e texto: Paulo Escobar | fotos e vídeo: Johnny Jamaica e Ruth Bessa

Dodô, aquele apelidado acertadamente de o artilheiro dos gols bonitos, pois tinha uma mania de marcar golaços, começou sua carreira oficialmente no Nacional de São Paulo. Mas ele mesmo observa que o seu verdadeiro começo foi na várzea, mais precisamente no Cruzeirinho da zona leste.

WhatsApp Image 2018-11-11 at 01.08.23.jpeg

Um dos motivos que vale a pena ressaltar seu começo na várzea se deve ao fato de grande parte daquela casca e raça característica daqueles jogadores que saíram do terrão. Talvez essa seja a casca que mais faz falta em muitos dos jogadores atuais: o contato que o jogo na várzea cria em quem passa por ela.

Dodô que teve passagens importantes pelo São Paulo onde marcou 94 gols, e formou um ataque temido com Aristizábal, além de ter atuado também por Santos, Fluminense e clubes do exterior. Mas foi no Botafogo que Dodô ganhou o apelido que viria ser aquele que o consagraria, o de “artilheiro dos gols bonitos”.

Um time que Dodô passou e que vale ser lembrado foi o Palmeiras, onde o atacante viveu de contusões e que talvez foi aonde ele mesmo pensava que poderia ter sido diferente. Pois foi ali que Dodô viveu talvez uma das fases mais duras da sua carreira, estando no elenco que viria a ser rebaixado.

Dodô era artilheiro nato, daqueles que sabia se posicionar e arrematar ao gol de onde estivesse posicionado, além de rápido tinha o faro e vontade de balançar as redes, que talvez seja um dos quesitos que faltam aos atacantes de hoje. Teve passagens pela seleção brasileira e, na conversa com ele, reclama que hoje atacantes com poucos gols já vestem a amarelinha. Sobre o assunto, o craque lembrou que na época dele havia que ser artilheiro pelas suas equipes e ter um bom desempenho antes de uma convocação. Ao ser perguntando sobre atacantes brasileiros de hoje que ele gosta de ver jogar, ficou sem reação e não respondeu por falta de opções.

Dodô, sem duvida, é o atacante que faz falta nos dias atuais, nessa escassez de gols que o futebol brasileiro vive. Esperamos que curta e assista a resenha deste que foi sem duvida um goleador à moda antiga.