PRESIDENTE DAS LARANJEIRAS

entrevista: Sergio Pugliese | texto: André Mendonça | vídeo: Daniel Planel 

Foi com muita felicidade que recebemos o convite para prestigiar o aniversário de Francisco Horta, um dos maiores dirigentes da história do futebol brasileiro e hoje presidente da Santa Casa da Misericórdia, local da festa. Sem pensar duas vezes, partimos cedo para a instituição no Centro e participamos de uma bela confraternização.

WhatsApp Image 2018-09-29 at 15.49.40.jpeg

Se hoje os clássicos são marcados, na maioria das vezes, por confusão entre as torcidas, houve um tempo em que a paz reinava nos estádios e o futebol arte prevalecia. Francisco Horta é, sem dúvidas, um dos grandes responsáveis pelos anos gloriosos do futebol carioca. Além de ter montado a lendária Máquina Tricolor na década de 70, o dirigente também ficou famoso por reinventar o troca-troca entre os clubes, incendiando os clássicos.

- Isso nunca mais vai acontecer. As torcidas ficavam misturadas na arquibancada e não tinha uma briga! - lembrou Fernando Bicudo, do Teatro Municipal.

- Sabe por quê? Porque naquela época existia a Geral! - disparou Horta.

O presidente foi recebido sob aplausos pelos convidados e, enquanto caminhava para o Salão Nobre cumprimentando um por um, foi ao delírio quando o o pianista tocou o hino do Fluminense:

- Emocionante! É o meu presente de 84 anos. É um hino que faz parte do meu coração!

Já no fim da festa, Márcio Braga, ex-presidente do Flamengo apareceu de surpresa, e colou ao lado de Horta para relembrar os tempos áureos do futebol carioca. Antes de entrar no assunto, no entanto, o ex-dirigente tricolor deu uma leve cutucada no rubro-negro:

troc.jpg

- Ele roubava todas as minhas namoradas! - disparou.

Hoje em dia, Horta vem fazendo uma excelente gestão para recuperar a Santa Casa da Misericórdia, um patrimônio histórico da cidade. Mas para quem conhece o passado do dirigente, trata-se apenas de mais um êxito no seu vitorioso currículo.

- Foi o maior dirigente esportivo de todos os tempos, um dos maiores juízes que tivemos no judiciário brasileiro e é um homem que tem amor no coração e na palavra. Assumiu a Santa Casa em condições precárias e está conseguindo recuperá-la! - disse o desembargador Siro Darlan.

Vida longa ao Horta!