MEIO DE CAMPO

entrevista: Sergio Pugliese e Mauro Sta. Cecília | texto: Mauro Sta. Cecília | fotos: Marcelo Tabach | vídeo: Daniel Planel e Guillermo Planel

Dois mestres da música e da bola. Dois craques. Dois poetas. Foi com a maior alegria que recebi o convite para entrevistá-los para o Museu da Pelada.

Um faz parte da trilha musical da minha vida. Lembro que ouvi o disco "Refavela", aos 15 anos, até furar (na época a mídia era o bom e velho LP). Um artista que se reinventa sempre. Torce pelo Fluminense e pelo Bahia, em sua terra natal.

O outro é um ídolo do meu Botafogo. Foi um meio-campo talentoso, criativo, desses que a gente não costuma mais ver tanto jogando no Brasil... E contestador. Foi no próprio Botafogo que ele se notabilizou não só pela técnica como também por ter se recusado, nos anos 70, em plena ditadura,  a cortar barba e cabelo por "ordens" do então treinador Zagallo. Tornou-se um pioneiro na luta pela extinção da Lei do Passe, que modificou a relação abusiva entre clubes e atletas.

Enfim, mesmo eu não sendo um repórter de ofício, e sim um letrista e poeta louco por futebol, não tinha como recusar um convite desses.

A entrevista foi um emocionante reencontro de dois amigos.

Com vocês, Gilberto Gil e Afonsinho.